Search Bella News

Carregando...

Sobre nos

Minha foto
Criadas pela artista plastica Valeria Roncoli, Bella Zadore e uma colecao de 12 personagens para fazer voce pensar, rir e apreciar ser mulher. Explore o mundo de Bella percorra e obtenha dicas de onde ir, oque fazer e como manter sua beleza interior e exterior. Bella Zadore e uma propriedade de Valeria Roncoli Studio.

As garotas Bella Zadore

As garotas Bella Zadore
Conheca as garotas da colecao Bella Zadore!

quarta-feira, 16 de março de 2011

Príncipe encantado existe?

Por Sandra Maia . 15.03.11 - 19h23


E então, quem pode responder a essa questão? Quem pode me contar uma história de príncipe ou princesa encantados? Eles existem? Quero crer que somos seres de possibilidades… Somos potencialmente da nobreza! A questão é: desenvolvemos essa nossa realeza ou não?

A base desse desenvolvimento está nas escolhas que fazemos e, que – pasme! – o outro também. Estamos todos no mesmo processo evolutivo ou involutivo. Estamos sempre em movimento.

Dualidade

Exercemos, ao longo do nosso caminhar, toda nossa dualidade. Durante um dia qualquer, passamos da Bela para a Fera e vice-versa diversas vezes. Somos assim: príncipes e monstros. E não sabemos direito como exercer nossa forma de expressão. Confundimos tudo, nos atrapalhamos, não sabemos nos relacionar e – o mais curioso – essa é a única forma que possuímos de viver em sociedade.

Vivemos a partir do outro. Somos todos interdependentes, e o quanto antes assimilarmos isso, melhor. Ficará mais fácil lidar com nossas variações de humor. Imagine se é difícil, diria quase impossível, compreender-nos em nossa “loucura”, o que dirá o outro e os outros que estão a nosso redor?

Nós, mulheres, somos ainda mais complexas. A questão hormonal, metabolic etc, etc, afetam sobremaneira nosso dia a dia e nos tornam hipersensíveis ou mega agressivas e não há muito o que fazer para mudar isso. Não percebemos. Quando nos damos conta, já metemos os pés pelas mãos.

Referências, energia, metabolismo, marcas, crenças… Isso é tudo o que nos fez chegar até aqui como somos. E não dá para jogar tudo no lixo e imaginar que vamos mudar porque queremos. Não é assim tão simples.

Mudanças

Toda mudança em nós demanda disciplina, demanda desapego, demanda amor-próprio, autoconhecimento. É possível, mas não é fácil. Agora, pegar tudo isso e tentar mudar o outro – bem, aí é mesmo insanidade! Ninguém muda ninguém. Ninguém!

Quem quiser aprofundar mais no tema e entender por que não conseguimos ser príncipes ou princesas, reis ou rainhas em tempo integral, assista ao filme “O Discurso do Rei”. É um dos filmes mais sensíveis a que tive a oportunidade de ver nos últimos tempos.

Preste atenção não só no personagem principal, o Rei. Preste atenção nos amigos que não desistem de amá-lo, independentemente de sua destemperança. Na sua companheira, que foi leal durante toda a sua vida. E nas suas filhas, que o amaram incondicionalmente.
Todos, afinal, temos voz. Se vamos ou não conseguir fazê-la forte, intensa, poderosa, cabe sempre a nós escolher. Os outros, como afirmado acima, são de extrema importância para nosso desenvolvimento. É também a partir do outro – com todas as suas imperfeições – que crescemos, que nos tornamos seres em plenitude.

Realeza

Então, quando entrar em uma relação faça-o com intenção. Entenda que finais felizes para sempre são construídos dia a dia. Momento a momento. O olhar de fora é sempre simplista. Estar dentro da relação e aprender que há dias de belas e feras – esse sim é o caminho. Essa sim é a diferença das relações de amor eterno.

No mais, caro(a) leitor(a), que você consiga enxergar no seu companheiro ou companheira o rei e rainha que são! Esse é o verdadeiro amor pleno em compromisso, decisão e atitude! Boa semana!

Amor depois dos 40?


Venho percebendo que, nos últimos tempos, temos recebido muitas mensagens de mulheres com idade acima de 40 anos, na maior parte dos casos divorciadas (algumas tiveram longos casamentos) ou mesmo viúvas. A questão trazida é quase sempre a mesma: é possível se relacionar novamente com a idade que têm e após uma separação?

A dúvida e toda a insegurança são compreensíveis, já que muitas tiveram longos casamentos e estão “recomeçando” agora. Têm, portanto, dúvidas sobre o que fazer, como agir, e mesmo sobre sua capacidade de amar, ser amadas e se relacionar novamente. Apesar disso, sempre que vejo a pergunta se repetir, outra pergunta me vem à mente: “por que não?”.

Vivemos em uma época em que a juventude é muito valorizada, de maneira que vem crescendo em grandes proporções a quantidade de pessoas que se submetem a tratamentos e cirurgias para preservar a juventude, retardar ou evitar o envelhecimento. Nos meios de comunicação, a juventude é exaltada como a oitava maravilha: “jovem” é sinônimo de “belo”, “interessante”, “saudável”, “forte”... O jovem é frequentemente visto como aquele que pode tudo, transpõe barreiras, é livre para fazer escolhas e modificá-las conforme sua vontade.

Toda essa exaltação ao jovem tem seu corolário: se o jovem é “isso tudo”, quem não é jovem é o quê? Geralmente a “não-juventude” está associada ao “feio”, “desinteressante”, “doente”, “fraco”... Desta maneira, conforme a idade vai avançando, muitas pessoas começam a se sentir impotentes. Acham que não podem fazer isto ou aquilo por não terem mais 20 anos. Pensam que recomeçar é somente para os mais jovens, que a idade para isso já passou. Por pensarem dessa maneira, aí sim acabam se parecendo com o estereótipo do velho. Assim, não foi a idade que a tornou velhas, mas sua maneira de pensar.


Voltando então ao nosso assunto inicial, o que pensar do amor após os 40? Em primeiro lugar, para que ele aconteça é preciso abandonar o estereótipo que descrevi. É preciso se sentir bela, interessante e capaz de amar novamente. Acima de tudo, é preciso lembrar que o amor após os 40 tem muitas vantagens. Vejamos quais são elas.

Jovens são “belos” e “saudáveis”, porém têm muitas dúvidas. Passam por fases de muitas indefinições que podem gerar muita angústia. Não sabem bem quem são, o que querem fazer, quem querem ser. Pessoas com mais idade tendem a ter maior maturidade: já fizeram escolhas consideradas “cruciais”, sabem bem quem são e do que gostam. A vida já não é mais vista como uma aventura, tão interessante quanto assustadora. Tudo tende a ser pensado com maior tranquilidade, ainda que dúvidas e inquietações nunca deixem de existir.
A juventude, ao mesmo tempo em que é “livre para amar”, tem muitos tabus. Quanto mais jovem, geralmente maior é a quantidade de “regras” a serem seguidas: “pode isso, não pode aquilo”. Muitas vezes abandona-se um amor ou deixa-se de vivê-lo por não ser “bonito” ou por “não pegar bem”. A maturidade traz maior segurança quanto às escolhas. O importante passa a ser não mais a opinião dos outros (embora ela sempre tenha seu peso), mas a própria felicidade. O olhar dos outros – negativo ou positivo – deixa de ser crucial.

A experiência de vida traz a segurança de que sobrevivemos às perdas. Se, ao terminar um namoro, um jovem sente-se “como se fosse morrer”, a maturidade modifica essa sensação. A perda é menos arrebatadora. Ainda que haja sofrimento, sabe-se que não é o fim do mundo, e que será possível viver sem o outro. Da mesma maneira, dificuldades no relacionamento, que, quando se é jovem, podem ser vistas como cruciais, tendem a ser vistas de maneira mais amena após os 40. Já se sabe quais são os problemas “realmente graves”, e quais são aqueles que o tempo resolverá.

Minha intenção não é fazer aqui uma apologia da maturidade ou argumentar sobre o que é “melhor”. Não há idade melhor, cada uma tem suas vantagens e desvantagens. O importante é não se prender às desvantagens, como se elas fossem impedir qualquer coisa, e saber fazer bom uso das vantagens. Por isso, respondo a pergunta dessas muitas mulheres que nos escrevem: sim, é possível amar e se relacionar após os 40. É possível ser feliz no amor, ainda que as experiências anteriores possam ter sido frustrantes. Mais do que se apegar ao que deu errado em relacionamentos anteriores, é preciso saber aprender com a experiência e usá-la em seu favor. Por isso, concluo com um bom conselho: sintam-se lindas e livres, estejam abertas a novidades, e logo estarão amando novamente!
Este artigo foi escrito por:


Dra. Mariana Santiago de Matos
Psicóloga

10 dicas de como melhorar seu casamento

O que os casais, podem fazer para melhorar o casamento:

1 - Saiba elogiar : Seu marido pode não ser parecido com o Tarcísio Meira, mas precisa saber que você o considera o melhor do mundo. É engraçado falarmos assim, mas por detrás de uma brincadeira há sempre um fundo de verdade, um homem, precisa ter este tipo de confirmação de sua esposa. Se ela não o fizer é bem provável que alguém se habilite a fazê-lo.

2- Seja uma boa amiga : Seu marido deve ter bons amigos entre os colegas, mas Ele também precisa encontrar em sua esposa uma amiga verdadeira, alguém que diga a verdade em amor e no tempo apropriado. Quando um homem percebe que pode ter em sua esposa também uma amiga, confiará nela por toda a vida.

3- Seja encorajadora : Na maior parte do tempo, a vida é dura e turbulenta, como cabeça do lar o marido enfrenta grandes responsabilidades, que tende a deprimi-lo. Uma palavra de encorajamento da esposa pode fazer maravilhas.
4- Não seja reclamona : Uma mulher que vive reclamando de tudo, é potencialmente um bomba que pode destruir um relacionamento conjugal, é incrível como a murmuração pode tornar-se um hábito.

5- Mantenha a sua vida espritual em prioridade máxima : A falta de Deus, ou de algo maior em nossa vida  leva os lares a destruição, fracasso, etc.
6- Seja carinhosa e amável : Abraços e beijos são tão importantes, agora como na época da lua de mel. Uma boa atenção à vida conjugal, mesmo após muitos anos de casamento é importante para que não se caia na rotina. Lembre-se que o “ tempero ” é que dá o sabor.

7- Não seja interesseira ou egoísta : Não devemos pensar somente em nossos interesses, somente em nosso bem estar, devemos sim olhar pelo bem estar de nosso esposo e filhos, se queremos o melhor para nós, então para eles também, nunca se colocar superior a seu marido.

8- Procure fazer com que seu lar seja um lugar alegre onde ressoem sorrisos e haja paz : O mundo lá fora é muito duro de suportar. O nosso lar deve ser um pedacinho do céu. O ideal e que devemos sentir pressa para logo chegar em  casa à noite, e a familia é grande parte responsável em preparar uma boa atmosfera.

9- Procure manter-se em boa forma física : É importantíssimo que a mulher tenha a atenção com sua aparência, e saude mesmo depois de muitos anos de casada, uma mulher sempre cheirosa, agradável aos olhos.
10- Seja  parceira : Parceria quer dizer respeito, intimidade, amizade.
A mulher sábia edifica o seu lar.

Pagina do site http://consolidador.webnode.com.br/

segunda-feira, 14 de março de 2011

Auto Estima Feminina

A pergunta é simples: qual é o seu valor?
Se tiver dificuldade ou não soube responder, não se assuste, é muito comum que isso aconteça. Normalmente temos muito mais facilidade em atribuir valores aos outros do que nos mesmos. Por que isso acontece? A autoestima surge através de relações positivas e negativas desde o nosso nascimento. Quanto mais a criança se sentir amada e segura, maior será a chance dela se tornar um adulto confiante. Por outro lado, uma criança que cresce ouvindo que não é desejada, não é capaz, que não é inteligente, não é bonita e etc., provavelmente será um adulto inseguro, resultando em dificuldades para escolher uma profissão (não sou bom em nada), para fazer amigos (não sou legal o suficiente) e para as conquistas amorosas (não sou bonita).
continua...

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Veja a nossa heroina local de julho!

Você quer ver um exemplo de mulher na comunidade? Você ja fez diferença na vida de uma criança? O nosso destaque da edicao de Julho e a Deusa, Tracy Russell Johnson um modelo de mulher que se destaca aqui nos EUA, quando se trata de uma liderança comunitária. Dedicou sua vida a ajudar os outros, e ela está mostrando nenhum sinal de abrandamento. Em 2008, ela co-fundou o seu lugar Youth Center, um grupo projetado para educar e engajar as mentes dos jovens para mantê-los fora das ruas. Veja esta materia na nossa página Deusa Destaque  para saber mais e ler  a biografia  Mrs. Russell Johnson para ter um pouco mais de inspiração.